Dois escritos para voltar ao Sertão

É com muito prazer que anuncio os dois novos lançamentos de La Petite Ferme, editora caseira de guerrilha nascida em 2014.

Livro em formato impresso, versão pocket, com projeto gráfico da autora.

Lançamento dos dois livros de Lia Rezende Domingues no dia 19 de dezembro de 2020: Minha vida com Tê: estudos genealógicos e Abro-te meus caminhos: contos-diários do meu primeiro sertão da caatinga.

Livro em formato digital + audiobook, com produção musical de Igor Visentin.

Sobre os livros:

Edição:
Maria Bitarello
Consultoria editorial: Ulisses Belleigoli
Revisão: Paula Martins Costa
Projeto Gráfico: Lia Rezende Domingues
Produção Musical do audiobook:
Igor Visentin
Voz: Lia Rezende Domingues
Editora: La Petite Ferme

Lia Rezende Domingues, autora dos livros (Foto: Maria Gabriela Matos)

Lia Rezende Domingues é jornalista (Universidade Federal de Juiz de Fora) e designer ecológica (Gaia Education). Trabalhou com comunidades tradicionais, economia popular solidária, a Embrapa e o ICMBio. Peregrina dos sertões, escreve desde pequena. Abro-te meus caminhos: contos-diários do meu primeiro sertão da caatinga e Minha vida com Tê: estudos genealógicos são seus dois primeiros livros.

Iya Shango

Todo tempo é susceptível de virar um tempo sagrado;
a todo momento, a duração pode ser transmudada em eternidade.

In illo tempore, nos tempos míticos, tudo era possível.
Mircea Eliade

A repetição do cotidiano, massacrante a princípio, sublima, pelo cansaço, seus agentes. Gestos e saudações que repetem, ao infinito, o ato criador, a origem da aldeia, da tribo, do mundo. Aldeia: centro do mundo. No ato de cozinhar, de cantar, de reverenciar está sempre, por detrás, o gesto original e criador: o gesto mesmo do divino, que se atualiza no presente através do homem, trazendo o tempo sagrado, o tempo do mito para o tempo profano a qualquer momento, sem aviso, sem censura. Não é só no rito que o tempo sagrado se regenera, mas todos os dias, de novo, e de novo, e de novo.

A série integral saiu na Revista Philos (aqui).
(Rio de Janeiro, Novembro 2020, quarentena de Covid19)